twitter
    Sejam Bem Vindos, ao Site da Arte Colonial :)

Patrimônio da Humanidade, Ouro Preto tem arte colonial, a história do Brasil!

Um dos primeiros lugares do mundo a serem tombados pela Unesco como Patrimônio Histórico Mundial, Ouro Preto é dona de um dos maiores e mais importantes acervos da arquitetura e arte colonial do Brasil. Caminhar pelas suas íngremes e estreitas ladeiras --que ainda mantêm o calçamento original de pedras-- rende uma boa aula ao ar livre até para os mais desligados na história do país. É impossível passar despercebido, por exemplo, pelos casarões em que moraram o escultor Aleijadinho e os poetas inconfidentes Cláudio Manoel da Costa e Tomás Antônio Gonzaga. Situada em uma região montanhosa e acidentada, Ouro Preto exige fôlego de seus visitantes. Os principais pontos turísticos da cidade, apesar de espalhados em diferentes distritos, não são muito distantes entre si. Por isso, a maneira mais fácil de conhecê-los é respirar fundo e encarar a pé as subidas e descidas que encontrar pelo caminho. As igrejas são as principais atrações turísticas de Ouro Preto. Mais do que templos religiosos, elas são verdadeiros templos da arte colonial do Brasil. Seus altares, quase sempre banhados a ouro, são exemplos clássicos do rococó, e suas esculturas, trabalhadas por importantes artistas da época, como Aleijadinho, são consideradas obras-primas do barroco brasileiro.
FONTE: WEB LUXO

7 comentários:

Elias Júnior disse...

Também foi aí que Aleijadinho viveu e por volta de 40 anos de idade, começa a desenvolver uma doença degenerativa nas articulações. Assim ficava muito difícil realizar suas esculturas, porém mesmo assim ele continuou batalhando e criando grandes obras como citada no post, até morrer (pobre, doente e abandonado) no ano de 1814.

Alvaro disse...

È isso aii elias ...

Orley Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Orley Silva disse...

MUITO BOM!!!!!
Estou gostando dos comentários!!

Obs:
Somente estes seguidores?!!!

Será que não podíamos enriquecer mais o conteúdo deste Blog?

Vocês estão no caminho certo!!!

Adriane disse...

É importante ressaltar que no Brasil colonial, a arte em geral girava em torno da Igreja Católica e dos cultos religiosos. Como podemos observar em Ouro Preto. A arte foi usada como afirmação econômica e poder das irmandades. A arte era vista como expressão de poder da igreja católica.
A arte Colonial no Brasil desenvolveu-se principalmente em Minas Gerais devido ao ciclo do ouro no século XVIII.
Dentre os artistas mais famosos que deixaram marcas artísticas, por assim dizer, para nós, foram:
-Na escultura: como foi dito por Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho.
-Na pintura: Manuel Costa Ataíde

Enfim A Arte no Brasil Colonial nos deixou monumentos históricos e é importante conseguirmos restaurar esses monumentos, pois para se entender o que é arte é preciso estudar as formas de artes no passado e também provar desta arte visitando esses locais de tanta beleza que chega a ser difícil acreditar que uma pessoa possa ter construído tal obra, como Aleijadinho que tinha uma doença degenerativa nas articulações, mas mesmo com essas dificuldades deixou essa marca cultural para nós.

Thaisa Mello disse...

A primeira pintura de teto em Minas Gerais é realizada por Antônio Rodrigues Belo, em 1755, na capela-mor da matriz de Nossa Senhora de Nazaré, em Cachoeira do Campo. A partir de então Minas avança como ativo centro artístico nacional.O estilo dos artistas mineiros de então era o barroco com forte presença do rococó, sem contudo deixar de lado as formas brasileira.

Bruna Anselmo disse...

Nas regiões mineradoras, as cidades começaram a surgir e o desenvolvimento urbano e cultural aumentou muito. Foi neste contexto que apareceu um dos mais importantes artistas plásticos do Brasil : Aleijadinho.
Igrejas foram erguidas em cidades como Vila Rica (atual Ouro Preto), Diamantina e Mariana, obras cheias de influência européia.
Estas edificações já assimilam técnicas da escultura negra e da arte nativa, com participação em suas construções de artistas locais, entre eles, o pintor Eusébio de Matos, irmão do poeta Gregório de Matos e autor da sacristia da Sé de Salvador. Só após o período de prosperidade mineira explode a verdadeira arte local. Ao Barroco Nordestino, ainda mal estudado e mais próximo da metrópole, sucede-se o Barroco Mineiro já personalizado, evoluindo para o Rococó. Como dizia Mário Chicó, é no Brasil que se encontra o mais autêntico barroco português, e a figura de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, é o primeiro grito de independência brasileiro, um fato sem paralelo no Oriente português.

Postar um comentário